Ir para o topo da página Ir para o conteúdo principal Ir para o fim da página

Por que procurar um psicólogo?

[Por que procurar um psicólogo?]

“Isso é coisa de louco”, disseram. “Não preciso disso, sou normal”, responderam. Essas são algumas das frases que escutamos por aí quando se sugere que uma pessoa procure um psicólogo. Esse é um conceito errado que foi absorvido pelas pessoas há algum tempo, mas vem se transformando graças aos benefícios, cada vez mais evidentes, que a psicologia proporciona aos clientes. Vamos mudar isso?

Muita gente ainda pensa assim, porque associa a psicologia a patologias mais graves. No entanto, existem outras situações enfrentadas por todos nós, as quais necessitam de direcionamento de um profissional. “Hoje, essa visão já tem mudado e as pessoas perceberam que consultar um psicólogo vai muito além disso. As pessoas passam por conflitos, como crises de relacionamento, fases de transição, ou seja, situações que geram dúvidas. Outras podem ter dificuldade em administrar emoções, resolver questões profissionais e lidar com perdas. O psicólogo vai auxiliar na tomada de decisões e na administração desses sentimentos”, explica Mayara Cavalheiro, psicóloga Mestre em Análise do Comportamento. A psicóloga lembra que a decisão final é sempre do cliente. “Nós não o aconselhamos, antes, reorganizamos as informações de forma que o cliente seja capaz de fazer uma análise do problema pelo qual está passando e que tenha recursos para lidar com tal situação, a fim de solucioná-lo”, completa.

 

Por que conversar com um psicólogo é diferente de conversar com um amigo?

Sem dúvida, conversar com seus amigos é de extrema valia. No entanto, o psicólogo aplica métodos científicos que ajudarão você a encarar a situação da melhor forma. “Costumamos dizer que um problema se torna meio problema quando você divide com alguém. Contar para um amigo é ótimo e, você, provavelmente, vai se sentir aliviado por isso, mas não vai fazer com que esse problema desapareça. Dividi-lo é importante, mas não é a parte central do atendimento”, pontua. É necessário que você aprenda a lidar com a situação e crie recursos para isso. Entretanto, esse processo leva certo tempo. “A ideia não é que a pessoa divida seu problema, desabafe e vá embora, mas sim que seja capaz de desenvolver recursos para enfrentá-los e, por isso, a terapia leva certo tempo”, diz.

O psicólogo fará uma análise do seu comportamento e avaliará toda a sua história. “Na abordagem comportamental, que é o método que utilizo, olhamos para os comportamentos e buscamos entender o que aconteceu antes e o que acontecerá depois. Assim, podemos fornecer novas condições para que esse cliente se comporte”.

 

Nunca fiz terapia. Como funciona?

Cada profissional trabalha de uma forma. “Inicialmente é importante que terapeuta e cliente estabeleçam um vínculo terapêutico de modo que o trabalho seja explicado, o sigilo garantido e que se estabeleça uma relação de confiança. Esse cliente será acolhido em sua fala, que será organizada e analisada juntamente com o cliente”.

 

Qual a duração do tratamento?

A duração é muito relativa e vai depender de cada situação e diagnóstico. “Nunca espero que o cliente se torne dependente da terapia. A intenção é que ele venha para resolver uma questão importante e, feito isso, siga sem o acompanhamento. Caso ele passe por outras situações, venha para reavaliá-las”, afirmou.

 

O que você conversa com seu psicólogo não sai dali

Você não precisa ficar preocupado sobre o conteúdo que é discutido durante o tratamento, pois é mantido totalmente sob sigilo. “Além de ser exigido pelo Código de Ética dos psicólogos, isso faz parte da minha postura profissional. Nada do que o cliente me diz pode ser levado para outros contextos”.

 

Quais resultados posso esperar?

O objetivo central do tratamento é obter qualidade de vida. “Esse é o ponto central. Depois disso, espera-se que a pessoa consiga resolver seus conflitos por contra própria”, diz. Por isso, é tão importante procurar um psicólogo logo que um problema é percebido, a fim de que não evolua para uma situação mais complicada. “É importante procurar até quando não há motivo aparente. Se você sentir que precisa de ajuda e que não está dando conta de alguns momentos, o psicólogo vai ajudar muito nesse sentido”.